Antigo blog Anderson Ribeiro

Há quem, com seus superpoderes, domine ler pensamentos. Destes, há quem os ouça, inclusive. Nestes, costumo provocar ilusão de áudica. Anderson Ribeiro
Visite o novo blog em www.andersonribeiro.com.br

outubro 26, 2015

Rascunho















Te procurei Tentei te achar E nessas idas e vindas minhas pra te encontrar Eu tive a ilusão De que tudo acabaria bem De que tudo que eu fazia era acertar O meu maior receio era morrer pro seu olhar E eu disse não As vezes o que se espera da dor É a alegria de dizer que o que passou não vai vencer o coração E eu me pego a costurar todas as nuvens Num desenho bem melhor Um rascunho que dissesse de você Pra entender porque Tudo era poesia o que Em minha mente acontecia Procurando te fazer me enxergar Porque tudo que eu queria era saber O que fazer para te ver feliz Gastei canetas em rabiscos Busquei ajuda nos meus discos e ouvi Dont let me down Oh, darling Get back, please! Yesterday was a hard day's night
Anderson Ribeiro
26/10/2015

outubro 23, 2015

Wait For Me

Entre recantos e o céu dramático
Acho riscos e nuances e me atrevo a cantar
Entre ladeiras e esperas infindas
Eu me encontro e padeço mesmo em qualquer lugar

Se são colinas eu avanço bem alto
E o salto quase sempre penso bem devagar
Mas nos abismos eu contemplo por cima
Me despeço da preguiça e saio a caminhar

Eu que não percebo a notícia
Que corrompe e assusta o menino amor
Eu que sempre peço desculpas
Por não reconhecer o seu caminho e sua dor

Sempre falo o intervalo e o durante
E emudeço no instante em que você chegou
Paraliso meu destino e ensino
Pro meu peito o que é preciso pra te ter aonde for

E nessa estrada I 'll be back, wait for me
I 'll be back, wait for me
I 'll be back, wait for me

E na estrada I 'll be back, wait for me
I 'll be back, wait for me
Just I 'll be back, wait for me

E nas visões em que me pego assustado
Me pergunto o motivo e te peço perdão
E na cegueira não consigo ter mais
Que um instante dessa brisa que se chama emoção

Sempre esboço um esforço acuado
Pelo trato que rebate a força do coração
Teimo e falo do contrário o apelo
Que acomete quem se arrisca a romper com a razão

Tenho medos e assombros e frios
E assustado me remeto a cuidar de você
Esses calos que me calam arrepios
Responsáveis devem ser por me fazer aprender

Eu que já não mais me suporto
Defendendo aquele sopro do partido razão
Volto ao caminho dos cegos
Enxergando com a força do caminho canção

E na estrada I 'll be back, wait for me
I 'll be back, wait for me
I 'll be back, wait for me
Oh, baby, baby, baby!

E na estrada I 'll be back, wait for me
I 'll be back, wait for me
Just I 'll be back, wait for me

Anderson Ribeiro
18-10-2015
Related Posts with Thumbnails